29 de março de 2011

Sucker Punch - Mundo Surreal (Sucker Punch)!

> Com a morte de sua mãe e algumas situações complicadas em sua família em decorrência dessa morte, ‘Babydoll’ (Emily Browning) é internada, por seu padrasto, em um manicômio/reformatório para garotas. Nesse lugar ela fica amiga de outras 4 garotas: ‘Sweet Pea’ (Abbie Cornish), ‘Rocket’ (Jena Malone), ‘Blondie’ (Vanessa Hudgens) e Amber (Jamie Chung) e no início descobre que para sobreviver ali elas têm que entreter alguns homens poderosos com números de dança ensaiados pela Dra. Gorski (Carla Gugino), porém elas almejam fugir dali e mais do que elas imaginavam, terão que enfrentar diversos e inimagináveis inimigos para conseguir liberdade. Em um jogo entre realidade e imaginação, as cinco garotas contam com ajuda de um ‘sábio’ (Scott Glenn) que mostrará a elas o que deve ser feito para obterem êxito em suas tarefas que vão de derrotar orcs e dragões até um exército de robôs.
> Palavras não são o suficiente para descrever todo o universo, ou universos, abordados em Sucker Punch – Mundo Surreal e depois que se assiste o filme, fica claro que nem imagens também. Todos sabem que Zack Snyder é um excelente diretor e aqui ele prova mais uma vez isso. Zack trabalha cenas de ação com detalhes e precisões como poucos fazem. Olhando seus trabalhos anteriores como '300' e 'Watchmen – O Filme' fica claro a capacidade que ele tem de ser original e ousado, em Sucker Punch ele usa um estilo de filmagem parecido com seus últimos dois filmes (sem contar a animação A Lenda dos Guardiões). Esse é o primeiro filme do diretor em que trabalha com um roteiro original que também é escrito por ele, e mais uma vez, ele mostra total domínio sobre o filme em todas as cenas.
> Nenhuma das garotas do elenco principal alguma vez, teve papéis de grande repercussão em suas carreiras, a protagonista Emily Browning é mais lembrada por seu papel como um dos órfãos em Desventuras em Série, Abbie Cornish esteve no filme Brilho de Uma Paixão, Jena Malone trabalhou em filmes como O Mensageiro, Vanessa Hudgens é conhecida por protagoniza os filmes da série High School Musical, e Jamie Chung esteve no vergonhoso Dragonball Evolution. O roteiro do filme é o grande responsável por alguma queixa sobre o filme. Tento uma história de certo modo ‘original’ à esse ponto, muitos críticos especializados dizem que o filme só é visual e cenas de explosões, nada mais, pergunte a um garoto adolescente* sua opinião sobre o filme e ele dirá que é um dos melhores do ano, seja pelo fato de ter garotas com roupas sensuais , ou de ter muitas explosões, tiros e sequências de tirar o fôlego. Particularmente, não achei que o final foi digno do restante do filme.
> Ainda sobre Snyder, sabe-se que seus filmes se desenvolvem de maneira harmoniosa entre a direção de arte, fotografia, efeitos visuais e sonoros e uma trilha marcante. Nesse filme, as músicas que dão mais intensidade nas cenas vão de artistas como Björk, Queen até a própria protagonista do filme, Emily. O que ajuda o filme a desenvolver-se a sua maneira e passar por diferentes gêneros mantendo a ‘coesão’ é a influência de outros tipos de filmes, uma ‘mescla’ entre musical, sci-fi, guerra, aventura, drama…
> Sucker Punch
é uma experiência única como filme, é impactante e bastante divertido. Não acredito que tenha sido voltado para um determinado público alvo, Snyder apenas descarregou no filme tudo que tinha em mente para esse projeto, mas nós*, de fato agradecemos por isso.

25 de março de 2011

Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached)!

> Adam (Ashton Kutcher) e Emma (Natalie Portman) se conhecem quando são adolescentes em um acampamento e passam a se reencontrar durante diferentes períodos de suas vidas. Até que 15 anos depois do dia em que se conheceram eles passam a se relacionar de uma maneira muito moderna, eles se encontram, transam e continuam suas vidas, sem nenhum compromisso. Porém, quando se tem a mais íntima das relações que pode haver entre duas pessoas é inegável que outros sentimentos apareçam.
> As comédias românticas dos últimos anos têm se mostrado bastante limitadas, seja no elenco, roteiro, ou até mesmo no sempre previsível final. Para um filme desse gênero se tornar bem sucedido, deve haver nele algum diferencial em um desses pontos citados. Antigas comédias românticas tinham roteiros premiados e sucesso de bilheteria como Se Meu Apartamento Falasse, (com o incrível Jack Lemmon) e O Pecado Mora ao Lado (com a linda, porém ‘canastrona’ Marilyn Monroe, que era um atrativo a parte), porém, hoje o gênero não vem recebendo um ‘tratamento’ especial como outrora, uma das comédias ‘atuais’ que conseguiu ser inteligente, original, e não menos romântica é Simplesmente Amor (2003).
> Mas voltando ao filme, 'Sexo Sem Compromisso' cumpre seu papel dentro de seu gênero ao consiguir tirar algumas risadas. Os dois atores principais estão bem em seus personagens, porém não consigo ver Ashton Kutcher a altura de Natalie Portman. Em muitos casos, personagens como ‘Emma’ são interpretados por atrizes que ainda estão em início de suas carreiras e/ou sejam atrativos para uma grande bilheteria; nenhum deles (eu acredito) é o caso de Natalie Portman, uma atriz recém ganhadora de um Oscar e com personagens marcantes em sua jovem carreira. Já Ashton está, mais uma vez, em sua zona de conforto.
> 'Sexo Sem Compromisso
' diverte mas mantém a receita das comédias românticas atuais, um casal principal com altos e baixos, tanto na história como nas atuações e um elenco de apoio que com algumas das melhores tiradas do filme. É um filme que você paga para ver o que já foi visto, porém sabe que vai se agradar (ou não, vai depender se o gênero em si agrada a quem assiste).