26 de setembro de 2012

Ted !

> John Bennet (Mark Walhberg) não era uma das crianças mais populares e não tinha amigos, assim, durante uma noite de Natal, ele pediu que seu urso de pelúcia criasse vida e se tornasse seu melhor amigo durante toda a vida. O pedido de John foi atendido e Ted (dublado por Seth MacFarlane) passou a ser o amigo que John nunca tivera. Porém o tempo foi passando, e os amigos “cresceram”, agora adultos, eles perceberão que a amizade de um garoto por seu brinquedo não combina com estilo de vida de um John maduro e eles terão que abdicar de algumas coisas para que a amizade possa continuar.

> Não caberia aqui o tanto de referências que o diretor e roteirista Seth MacFarlane é capaz de fazer em apenas 30 minutos de filme. Seth é uma das pessoas mais inteligentes e versáteis da televisão norte-americana. Criador de três seriados de sucesso – e em 2013 está contratado para trazer de volta uma nova versão de Os Flintstones – ele obteve admiração unânime pelo público e por parte da crítica por sua animação Uma Família da Pesada (Family Guy), que em outubro irá para sua décima primeira temporada mantendo sempre uma ótima audiência. Family Guy é tudo de mais crítico, obsceno, engraçado, aleatório e arriscado que Os Simpsons tenta, ainda hoje, ser. Mas o que falta à família dos Simpsons, não é poupado na família dos Griffins, que é discutir e mostrar opiniões bastantes controvérsias sobre os mais variados assuntos, de eutanásia ao aborto, tudo graças ao inusitado Seth.

> É necessário que se introduza quem é Seth MzcFarlane pois o filme é ainda mais engraçado, e algumas piadas mais bem fundamentadas, quando já se acompanha o trabalho dele, por exemplo, saberá que em Family Guy ele gosta de sempre de bater na tecla que o ator Ryan Reyonlds é homossexual, e quando se vê que o próprio ator aceitou fazer um personagem gay no filme, a piada se torna mais “contextualizada”. Além da excelente trilha sonora, e de um incrível elenco de apoio vindo, também, direto da televisão - destaque para Joel McHale da série de tv perspicaz Community, o filme se mantém implacável até o final com o habilidoso trabalho de dublagem de Seth, que dubla o urso Ted em uma voz quase semelhante ao personagem Peter Griffin, de Family Guy, e também é motivo de piada para Seth no filme.

> Ainda fazendo referências a séries de televisão, o filme Ted, a partir de determinado momento de sua trama, seguirá os moldes do seriado australiano Wilfred, (que recentemente ganhou uma versão americana protagonizada por Elijah Wood), onde um jovem tenta progredir profissionalmente e amorosamente em sua vida, mas existe um cachorro chamado Wilfred (que só ele enxerga como um bizarro homem vestido de cachorro) que não quer deixar esse homem amadurecer e tudo que consegue fazer é trazer problemas e convencê-lo a fumar maconha no porão de casa. Então o protagonista terá que fazer uma escolha entre a vida, ou o cachorro, aqui no caso o urso Ted.

> Ted, como já vi sendo dito em vários outros textos, é uma ótima fábula moderna e muito contemporânea. As incansáveis referências ao cinema e a música dos anos 80, as cenas de perseguição com humor e as brigas entre personagens em lugares pequenos, são apenas alguns dos elementos em que Seth MacFarlane é mestre em dominar, e que consegue deixar o filme, e as comédias em geral, com um frescor surpreendente. O cinema agradece a presença de Seth em seus estúdios e torce para que ele não deixe seu humor afiado apenas na televisão, haja vista que o cinema ainda consegue um alcance maior de público internacional.