27 de abril de 2013

Homem de Ferro 3 (Iron Man 3) !


> Homem de Ferro 3 coloca Tony Stark/Homem de Ferro contra um inimigo sem limites. Quando Stark tem sua vida pessoal destruída, ele embarca em uma angustiante busca pelo responsável. Nessa jornada, a cada nova etapa, sua coragem será testada. Sem saída, Stark precisa sobreviver com seus próprios recursos, confiando na sua engenhosidade e instintos para proteger as pessoas próximas a ele. No contra-ataque, descobre a resposta para a pergunta que secretamente o atormentava: o homem faz a armadura ou a armadura faz o homem?

> Primeiro filme da Fase 2 Marvel nos cinemas – pós Os VingadoresHomem de Ferro 3, é de longe, o filme que mostra mais o homem Tony Stark em contrapartida ao herói Homem de Ferro. Tanto que com esse filme ficamos sabendo mais dos personagens principais da trama mais que nos outros dois primeiros longas. Stark está amedrontado e perturbado com os conflitos pessoais que sua vida de herói trouxe a ele, e nesse filme vemos quase nada do antes bon vivant e agora quase um dedicado homem de família.

> O filme tinha tudo para parecer uma repetição de todo filme que trata a queda de um herói e de seus problemas de personalidade, mas os outros longas nunca deram tamanho espaço ao homem responsável pelo Homem de Ferro, e aqui, mais do que nunca o vemos com a cara limpa e lidando com todos os tipos de pessoas e com situações onde seu traje não o podem defender. 

> Temos um filme mais humanista não só no tocante ao herói, mas também nas questões políticas (se bem que desde sua origem que o herói está ligado a política), materiais e relacionais. A produção é cheia de mensagens e questionamentos, mas nada que o torne piegas, pelo contrário, tudo isso está sempre entre muitas cenas de ação frenéticas. Não quero acreditar que o riquíssimo vilão Mandarim fora reduzido a um simples fantoche político nos cinemas de outro vilão bem menos interessante (Aldrich Killian) que é movido apenas pela vingança, e, como alguém que torce pelo sucesso dos filmes Marvel, espero que o personagem volte ainda mais impactante, deixas para que isso aconteça são inúmeras. Caso não aconteça essa volta, sim, foi um desperdício de vilão e o filme perde uns pontos comigo.

> A direção de Shane Black é exagerada (no melhor sentido) e conta como ponto mais marcante as destemidas cenas de ação. Robert Downey Jr. é o próprio Tony Stark e não resta dúvidas de que nunca um ator casou tão bem a um personagem. Todos os coadjuvantes estão impecáveis e Gwyneth Paltrow nunca me pareceu tão bem em todos os sentidos. Há quem diga que essa foi a despedida de Robert Downey Jr. ao personagem que alavancou de vez sua carreira, não se sabe ao certo os destinos dos filmes individuais do herói no cinema, o que sabe é que, com a produção de Os Vingadores – The Avengers 2 iniciando ainda no final desse ano, acho pouco provável que o herói não ganhe, pelo menos, mais um filme no cinema, torço veemente por isso, e tenho meus motivos.