5 de abril de 2014

Álbum de Família (August: Osage County)!

> Barbara (Julia Roberts), Ivy (Julianne Nicholson) e Karen (Juliette Lewis) são três irmãs que são obrigadas a voltar para casa e cuidar da mãe viciada em medicamentos e com câncer (Meryl Streep), após o desaparecimento do pai delas (Sam Shepard). O encontro provoca diversos conflitos e mostra que nenhum segredo estará protegido. Enquanto tenta lidar com a mãe, Barbara ainda terá que conviver com os problemas pessoais, as difíceis relações com o ex-marido (Ewan McGregor) e com a filha adolescente (Abigail Breslin).
> Um filme que conta com os nomes de Meryl Streep, Julia Roberts, Chris Cooper, e um dos mais recentes queridinhos de Hollywood, Benedict Cumberbatch, merece ser visto não apenas pelo elenco ou fato de ser a adaptação de uma famosa peça teatral. Caracteriza como um  dramédia,Álbum de Família tem uma das melhores direções de elenco do ano. Geralmente, filmes com tantos nomes de peso no elenco acabam sendo uma cansada disputa de egos, porém, isso não ocorre aqui, pois cada tem a oportunidade de explorar o seu personagem em igualdade. Para isso, o impecável roteiro de Tracy Letts colabora. Streep, a mais completa atriz atualmente em atividade, faz valer cada segundo das cenas em que aparece e mostra porque deverá receber a sua 18ª indicação ao Oscar. Ela tem o controle e o domínio de todas as suas cenas e, de forma natural, ela consegue simplesmente criar um novo personagem sem deixar rastros dos outros por ela já interpretados. Julia Roberts e Margo Martindale também trazem fortes atuações.
> O filme é baseado na peça homônima August: Osage County, vencedora do Pulitzer de Teatro, do próprio Tracy Letts, e tem um dos roteiro de construção dramática difícil, uma vez que aborda problemas familiares sem tocar no melodrama, o que é quase impossível em se tratando de Hollywood. Porém, méritos para o diretor John Wells, que sabe manusear as situações mais efervescentes ao ponto de deixar o espectador como um participante dos confrontos – e não apenas como um observador distante dos dramas e dos personagens.
> Tracy Letts, um dos maiores dramaturgos dos EUA da atualidade, está vendo os seus premiados roteiros saindo do teatro e ganhando adaptações cinematográficas, como Killer Joe – Matador de Aluguel (2011) que estreou nos cinemas brasileiros no primeiro semestre de 2013. O segredo para o sucesso das peças de Letts está na no realismo com que ele aborda o white trash – termo usado para classificar americanos de classe média baixa e de pouca instrução educacional e social, em tradução livre: lixo branco – e/ou as relações familiares. Letts é comparado ao brasileiro Nelson Rodrigues por alguns críticos que relacionam a dureza com que ambos mostram a natureza humana. É grande ponto de maior aproximação entre os escritores, e até creio que a escolha de título nacional, Álbum de Família, não tenha sido à toa (muito embora o Álbum de Família de Nelson Rodrigues seja essencialmente bem mais problemático).
> Álbum de Família pode não ser o melhor filme de 2013, uma vez que a edição de cenas na primeira metade é um pouco relaxada, porém, a sua dramaticidade, desenvolvido em um roteiro exemplar, faz o espectador refletir sobre a família. Por isso não pode deixar de ser destacado entre os mais aguçados dramas do ano.

0 comentários:

Postar um comentário