7 de abril de 2014

Noé (Noah)!

> Noé (Russell Crowe) vive com a esposa Naameh (Jennifer Connelly) e os filhos Sem (Douglas Booth), Cam (Logan Lerman) e Jafé (Leo McHugh Carroll) em uma terra desolada, onde os homens perseguem e matam uns aos outros. Um dia, Noé recebe uma mensagem do Criador de que deve encontrar Matusalém (Anthony Hopkins). Durante o percurso ele acaba salvando a vida da jovem Ila (Emma Watson), que tem um ferimento grave na barriga. Ao encontrar Matusalém, Noé descobre que ele tem a tarefa de construir uma imensa arca, que abrigará os animais durante um dilúvio que acabará com a vida na Terra, de forma a que a visão do Criador possa ser, enfim, resgatada.
> São incontáveis as abordagens e aberturas que o Noé de Aronofksy podem tratar dadas a sua origem e liberdade que Darren usou na direção e no roteiro. O filme, como se sabe, é adaptação de uma das histórias mais conhecidas da humanidade presente no livro do Genêsis, na Bíblia, e no capítulo com o nome do profeta no Alcorão. Porém, antes disso, é necessário que se saiba que Noé é a adaptação de uma graphic novel fantástico escrita também por Darren Aronofsky e Ari Handel, roteiristas do filme. Ou seja, realismo é o que menos se tem, ou se busca ter no filme. E, embora a mensagem principal da história tenha sido passada com sucesso, o filme destoa em muitos aspectos a história original, o que casa perfeitamente no filme.
> A produção apresenta ao público Noé como um homem duvidoso de algumas decisões a serem tomada em sua tarefa destinada por Deus, mas sempre destemido e obediente. O roteiro mostra o profeta como poucas vezes um filme se tem corajem de mostrar: humano. Não temos aqui um Noé sempre bondoso, compassivo e que aceita tudo o é pedido sem impedimentos ou questionamentos, mas um Noé preocupado em fazer o que é o certo, independente do que seja necessário ser feito. Noé também conta com uma mensagem ecológica bem dissolvida no aguaceiro do filme. O livre arbítrio e a postura de Deus no Antigo Testamento são pontos importantes que sustentam todo o filme.

> Esse é o terceiro filme em que Russell Crowe e Jennifer Connelly trabalham juntos, e mostram mais uma vez atuações primorosas que se completam, não por necessidade, mas por potencialidade. Com efeitos sutis e trilha sonora e fotografia belíssimas, Noé se difere de todo filme já visto que aborde qualquer temática do Antigo Testamento. São muitas as semelhanças com Fonte da Vida (2006) no que toca as temáticas da existência humana, seus propósitos e suas decisões. Noé é uma produção notável por conseguir compactar com sucesso, de uma forma que consiga, pelo menos, fazer sentido ao mais cético dos homens, num mesmo filme aspectos do criacionismo e da evolução, bem como da religião e da fantasia.

0 comentários:

Postar um comentário