5 de abril de 2014

Thor: O Mundo Sombrio (Thor: The Dark World)!

> Thor: o Mundo Sombrio da Marvel dá seguimento às aventuras no cinema de Thor (Chris Hemsworth), o poderoso vingador, enquanto ele luta para salvar a Terra e os Nove Reinos de um inimigo sombrio que destrói o próprio universo. Na sequência de acontecimentos de Thor (2011) e de Os Vingadores – The Avengers (2012) da Marvel, Thor luta para restaurar a ordem no cosmo… mas uma antiga raça liderada pelo vingativo Malekith (Christopher Eccleston)  retorna para levar o universo de volta às trevas. Enfrentando um inimigo que até mesmo Odin (Anthony Hopkins) e Asgard não são capazes de derrotar, Thor precisa embarcar em sua jornada mais perigosa e pessoal, que o reunirá com Jane Foster (Natalie Portman) e o forçará a sacrificar tudo para nos salvar.
> Os primeiros filmes de Thor e Capitão Américo tiveram a difícil missão de apresentar ao cinema dois dos mais famosos heróis Marvel no contexto de que o filme de Os Vingadores já estava confirmado e esperando apenas o lançamento desses para ser iniciado. Os dois tiveram rápidas produções e os resultados foram surpreendentemente agradáveis. Porém, visto que Thor (2011) fora oficializado, iniciado, filmado e lançado antes que Capitão América: O Primeiro Vingador(2011) e que o filme do herói asgardiano seria o pontapé inicial para o desenvolvimento do roteiro de Os Vingadores – The Avengers, a produção deixou de lado aspectos importantes do personagem Thor e de seu universo.
> Porém Thor: o Mundo Sombrio trouxe esse reconhecimento que o herói merecia ao ter a maior parte de seus acontecimentos desenvolvidos em Asgard e seus reinos próximos. O filme dá total ênfase nas relações familiares do herói e explora os lugares, fisica e semanticamente, que compõem os nove reinos de Asgard, deixando para a Terra, e para o romance, apenas cenas secundárias, mas não tão menos importantes. Mais uma vez o carismático e talentoso elenco merece destaque por conseguir trazer humor e drama sem overactings. Tom Hiddleston, de novo, rouba grande parte das cenas em que aparece.
> Thor: o Mundo Sombrio só peca onde cem por cento dos filmes de heróis pecam: nas frases prontas e casualidades. Porém endosso a ideia de que, como adaptações de um gênero que originalmente era formado tanto pelos bordões como pelas casualidades inexplicavelmente oportunas, os filmes de heróis de quadrinhos necessitam dessas falhas, muitas vezes escondidas, outras vergonhosamente expostas, para manter sua identidade. Os efeitos são sutis e grandiosos nas horas certas e o final deixa o público instigado para o que os estúdios Marvel tem em mente para o futuro de seus heróis.
> Apesar das publicidades (uma questão de bilheterias e popularidade) terem dado mais destaque ao personagem do Homem de Ferro em Os Vingadores, Thor poderia facilmente ser eleito o protagonista se assim fosse necessário, apenas pelo fato de ter sido o responsável por transportar ao cinema toda mitologia espacial da Marvel que guiou Os Vingadores – the Avengers e guiará a Fase 2 em diante. E apesar de muito barulho no cinema e lucro aos envolvidos, Homem de Ferro 3 desagradou a uma maioria quase absoluta de fãs e não movimentou a Fase 2 em nada; diferente de Thor: o Mundo Sombrio que, assim como o primeiro filme na Fase 1, fez a história seguir e abriu as portas para o aguardado Os Guardiões da Galáxia (2014).

0 comentários:

Postar um comentário