4 de abril de 2014

Universidade Monstros (Monsters University)!

> Mike Wazowski e James P. Sullivan são uma dupla inseparável, mas nem sempre foi assim. Desde o momento em que esses dois monstros incompatíveis se conheceram, eles não se suportam.Universidade Monstros revela o segredo de como Mike e Sulley superaram suas diferenças e se tornaram melhores amigos.
> É bom ver que a Pixar está voltando ao seu padrão de qualidade em animações. Não falo em relação a técnica, pois essa nunca deixou a desejar, mais em relação ao roteiro, pois desde 2010, com o encantador Toy Story 3, que a parceria Disney-Pixar não vinha acertando a mão em um roteiro que merecesse louvor da crítica como acontecia anualmente até 2010 – mesmo assim o forte lobby da empresa ainda conseguiu dar alguns prêmios ao mediano Valente (2012), incluindo o Oscar de Melhor Animação.
> O fator nostalgia favoreceu bastante a animação Universidade Monstros. Doze anos após a estreia de Monstros S.A. (2011) – uma das animações de maior sucesso de público e crítica da Disney-Pixar – foi um tempo relativamente bom para fazer com que o público desejasse ver os carismáticos monstros de volta às telonas. Assim como aconteceu com a famosa trilogia de Toy Story, um espaço de uma década foi o tempo necessário para criar no público o anseio por uma continuação, e quando ela veio, fez valer a pena toda a espera, foi o tempo do público alvo do primeiro filme crescer, amadurecer e junto com eles, crescer a vontade de reviver os bons momentos da infância. Foi exatamente aí o fracasso de Carros 2 (2011); o primeiro filme de 2006 já não era um dos favoritos da crítica e uma continuação (desnecessária) tão próxima do primeiro não fez o sucesso esperado.
> O longa é super divertido, com humor afiadíssimo – na medida de um filme infantil – , e tem boas ligações com o filme anterior. Outro ponto forte do filme é o fato de ele ser um “prequel”, ou seja, uma continuação de um filme que se passa antes do anterior, digo que isso é bom porque ainda se pode esperar uma continuação, temporal, do primeiro filme; merece destaque também a técnica, da iluminação à consistência dos monstros, que está no padrão Pixar de qualidade. Se existe uma falha em Universidade Monstros é o uso de clichês em certos momentos que poderiam ser bem inusitados.
> O que merece atenção também é o lindíssimo curta-metragem O Guarda-Chuva Azul, que é exibido antes do longa Universidade Monstros, que elevou o nível de renderização do CGI a um patamar de quase realidade.

0 comentários:

Postar um comentário